Coronavírus: o que você precisa saber e como se prevenir

Coronavírus: o que você precisa saber

Neste momento, está acontecendo a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), que já provocou mais de 3000 mortes da China (onde aconteceu seu início) e rapidamente se espalhou pelo mundo) rapidamente.

No Brasil, o vírus circula entre a população já com casos de transmissão comunitária (isto é, quando não se sabe a origem e ela acontece na própria região, sem ligação com fator externo).

Segundo a Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde, se essa pandemia não tiver atenção e cuidados básicos para conter o vírus, o número de infectados tem a capacidade de dobrar em apenas três dias.

Para evitar que o nosso sistema de saúde entre em colapso, prejudicando o atendimento e colocando em risco a vida de pacientes, a melhor arma que precisamos ter é informação e cuidado.

Nesse sentido, levantamos as principais coisas que você precisa saber sobre o Covid-19!

O que é o coronavírus?

Covid-19: o que você precisa saber

Coronavírus (CID10) é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.

O vírus causa graves infecções respiratórias e por isso ficou conhecido pela sigla SARS (Severe Acute Respiratory Syndrome ou Síndrome Respiratória Aguda Grave, em tradução livre).

Posteriormente, ele foi nomeado de Covid-19.

Quais são os sintomas do coronavírus?

São 5 os sintomas de quem tem coronavírus

  • Febre;
  • Espirros;
  • Tosse;
  • Coriza;
  • Falta de ar.

Vale salientar que o coronavírus pode causar infecções respiratórias desde um simples resfriado até uma pneumonia severa.

Por outro lado, isto vai depender de vários fatores como idade, imunidade e estar ou não em um grupo de risco.

Como ocorre a transmissão do coronavírus?

Covid-19: o que você precisa saber

Um dos facilitadores da pandemia do coronavírus é que sua transmissão ocorre de maneira fácil entre pessoas, da seguinte forma:

  1. Tosse;
  2. Espirro;
  3. Contato com secreções respiratórias;
  4. Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;
  5. Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Nesse sentido, é bom lembrar que qualquer pessoa que se aproxime um metro de uma pessoa infectada corre o risco de ser contaminada com a infecção.

Quais são as formas de se prevenir do coronavírus?

Covid-19: o que você precisa saber e como se prevenir

De acordo com a médica infectologista da Unimed Fortaleza Dra. Lícia Borges Pontes, utilizando 5 cuidados simples você pode se prevenir do coronavírus.

Lave as mãos

A recomendação é que você lave não só as mãos mais até metade do pulso, de forma demorada e utilizando água e sabão.

Um aliado para complementar a limpeza é o álcool em gel 70%. Ele pode ser usado depois da lavagem ou mesmo como substituto dela, dependendo da ocasião.

Como já está rolando falta de álcool em gel em muitos lugares, utilizando somente a lavagem com água e sabão já é mais que o suficiente.

Use máscaras de proteção adequadamente

Apesar de muita gente ter passado a usar máscaras para se tentar se prevenir do Covid-19, especialistas dizem que o uso delas não é necessário para a população em geral no atual estágio da epidemia.

A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que somente as pessoas que estão doentes usem máscaras, ou pessoas que estão em contato com alguém com sintoma gripal, ou profissionais da saúde.

Se você circula por ambientes com grande potencial de infecção, como hospital, também deve usar.

Assim a máscara tem que ser utilizada bem justa ao rosto, sem vãos laterais que permitam a circulação de gotículas que possam estar contaminadas.

Verifique sua temperatura regularmente

Como a febre é um dos sintomas do Covid-19, monitorar regularmente a temperatura é um método de prevenção.

Bem como, vale lembrar que infectados podem não manifestarem todos os sintomas, somente alguns deles.

Evite grandes multidões

Covid-19: o que você precisa saber e como se prevenir

Ambientes muito tumultuados são perfeitos para a proliferação do coronavírus, visto que menos de 1 metro de distância é o suficiente para ocorrer a transmissão por ar.

Dessa forma, evite, ao máximo que puder, ambientes cheios, como espaços públicos, estabelecimentos fechados e com pouca ventilação. Se for circular, respeite 1 metro de distância.

Nunca toque seu rosto com as mãos sujas

Talvez um dos hábitos mais difíceis de mudar é o de evitar o contato da nossa mão (um dos principais pontos de contágio) com o rosto.

Assim, ande sempre com lenços umedecidos, álcool em gel, limpe com papel toalha ou água abundante.

Higiene com o ambiente

O vírus pode ficar nos objetos que o infectado tocou, tossiu ou espirrou. Por isso, reforce bem a limpeza dos ambientes, incluindo o uso de álcool em gel.

Ao mesmo tempo que é bom limpar regularmente seu smartphone com o objeto acima citado.

Pessoas gripadas ou resfriadas

Caso se depare com sintomas característicos de gripes ou resfriados, a prevenção também deve ser feita, porém, com algumas particularidades:

1- Use máscaras de proteção em lugares públicos ou quando for conversar com alguém;

2- Ao tossir ou espirrar, use lenços de papel e, em seguida, jogue-os no lixo ou cubra a boca e o nariz utilizando o braço;

3- Evite cumprimentos com abraços, apertos de mão e beijos;

4- Evite visitas a entes queridos caso esteja gripado.

Quem está no grupo de risco?

Coronavírus: o que você precisa saber e como se prevenir

Os idosos são os que mais correm riscos. A partir dos 65 anos, a taxa de mortalidade cresce exponencialmente.

Por exemplo na China: a taxa de mortalidade entre os infectados até 40 anos é de 0,2%. Entre 70 e 79 anos, é de 8%. Além disso, acima de 80 anos, sobe para 14,8%.

Ainda que quase todos os mortos pelo coronavírus já estavam doentes antes da infecção.

Segundo uma análise dos casos na China feita pela OMS, os riscos são maiores em casos de doenças cardiovasculares, diabetes, pressão alta, doenças respiratórias crônicas e câncer.

O coronavírus tem cura?

Apesar de ainda não existir uma vacina ou tratamento específico, tendo em vista que este é um novo vírus ainda em estudo, a grande maioria das pessoas contaminadas evolui para a cura.

Embora essa boa notícia, é preciso redobrar os cuidados com o Covid-19, tendo em vista as complicações que esse vírus pode trazer, já que os sintomas são muito agressivos para o corpo.

É bom ressaltar que o tratamento para as doenças causadas pelo vírus, por enquanto, ainda é o de suporte. Ou seja, o foco é o tratamento dos sintomas da infecção, como a febre e a tosse.

Como a medicina ainda busca um tratamento direto para a doença, reforçamos que você busque por informações de veículos oficiais, a grande imprensa ou especialistas no assunto.

Dessa forma, evitando fontes simplesmente alarmistas e recheados de informações falsas que só confundem, distorcem ou colocam em pânico a população.

Fontes para esta matéria:

Importante - Os comentários realizados nesse artigo são de inteira responsabilidade do autor (você), antes de expressar sua opinião sobre temas sensíveis, leia nossos termos de uso

Populares

Parceiros

Estilo e Moda Masculina para o Homem Moderno
A gente também pode
Homem também tem que ter estilo
Fique por dentro de tudo que acontece no Manual do Homem Moderno.

Cadastre-se e receba semanalmente os principais destaques do Universo Masculino »