Atualmente, suicídio mata mais jovens que o HIV

Créditos: Reprodução

Segundo dados recentes divulgados pela OMS – Organização Mundial da Saúde, tirar a própria vida é a segunda principal causa de morte no mundo entre pessoas de 15 a 29 anos. Apesar de que, estatisticamente, idosos com mais de 70 anos estarem mais propensos a cometer suicídio, os números estão crescendo cada vez mais entre os jovens. A primeira causa de morte nesta faixa etária continua sendo acidentes de trânsito.

+ Depressão: como tratar e conviver com o mal

O órgão ainda ressalta a importância de discutir a depressão e não tratá-la como um tabu. A mídia, inclusive, costuma não noticiar casos de suicídio por que muitos especialistas acreditam no efeito epidêmico do ato entre quem já sofre de depressão. Segundo dados divulgados pela BBC, o suicídio juvenil realmente promove esse efeito.

Aqui no Brasil, o índice de suicídio entre jovens de 15 a 29 anos é de 6,9 casos a cada 100 mil habitantes. Apesar de relativamente baixa, essa taxa coloca o Brasil na décima segunda posição no ranking de países que lideram os casos registrados entre jovens, como a Índia, o Zimbábue e o Cazaquistão.

O texto continua abaixo, clique no botão para continuar a leitura

Em 2012, por exemplo, 11.821 – 9.198 homens e 2.623 mulheres – cometeram suicídio no Brasil. No ranking geral de suicídios entre jovens e adultos, o Brasil está na oitava posição.

Porém, segundo o psiquiatra José Manoel Berlote, autor de “O Suicídio e sua Prevenção”, a taxa de suicídio entre adolescentes e jovens brasileiros aumentou pelo menos 30% nos últimos 25 anos.

Alias, em uma análise global, existe uma variação assustadora entre os países com maior e menor igualdade social: 75% dos casos de suicídio acontecem em países de média e baixa renda. Essa estatística preocupante coloca em cheque conceitos já estabelecidos de que a população de países com maior qualidade de vida tem maior tendência à sofrer de depressão, como costuma ser reportado na Suíça e no Japão.

Segundo a OMS, 800 mil pessoas tiram a própria vida todos os anos no mundo inteiro – para cada um desses casos, há pelo menos outras 20 tentativas que não resultaram em morte. 

150922140924_teenage_suicide_rate_age_comparison_portuguese

Alexandra Flischemann, especialista da OMS, declarou para a BBC que: “Para a faixa etária de 15 a 29 anos, apenas acidentes de trânsito matam mais. Se você analisar as diferenças de gênero, inclusive, o suicídio é a causa primária de mortes para mulheres”.

Em contraponto, no Brasil a população masculina é quem mais comete suicídio. Enquanto o índice nesta mesma faixa etária para mulheres é de 2,6 a cada 100 mil pessoas, para os homens, ele aumenta para de 10,7.

Flischemann também explica a possível discrepância entre as causas de suicídio entre homens e mulheres: “A masculinidade e as expectativas sociais são os principais motivos para essa diferença”.

Porém, esse choque de dados entre os gêneros é menor em países mais pobres e humildes, onde mulheres e jovens adultos são particularmente vulneráveis. Em países mais ricos, por exemplo, homens se matam três vezes mais, mas em países de média e baixa renda, essa comparação cai pela metade.

150922140951_teenage_suicide_rate_proportion_portuguese

Apesar da depressão ser a principal causa das mortes, elas variam bastante – principalmente em países com maior desigualdade social. Segundo especialistas entrevistados pela BBC e pesquisas apontadas pelo veículo, pelo menos 90% dos adolescentes que se matam têm algum tipo de problema mental, mas esses problemas vão além da depressão: muitos jovens passam por ansiedade, situações de violência ou vício em drogas.

Alguns gatilhos acabam impulsionando a tendência suicida – já latente por causa do ambiente ou pelos problemas psicológicos, e por isso, precisam ser observados com cuidado. Por exemplo: mudanças no ambiente dentro de casa ou na escola, crises de identidade e comportamento sexual extremo – com abstenção total ou relações sexuais frequentes e exageradas – são alguns sinais que devem ser observados entre os jovens. Mas, é claro, com discernimento e bom senso.

Quando um jovem encara a depressão, é preciso incentivá-lo a procurar um médico e não enxergar a doença como frescura ou fraqueza, este é um dos principais fatores que acabam levando um adolescente ou jovem adulto deprimido a cometer suicídio.

Os comentários são listados abaixo, clique no botão para comentar ou ler outros comentários
Importante - Os comentários realizados nesse artigo são de inteira responsabilidade do autor (você), antes de expressar sua opinião sobre temas sensíveis, leia nossos termos de uso

Canal do MHM

Recomendado para você

Populares

Parceiros

Estilo e Moda Masculina para o Homem Moderno
A gente também pode
Fique por dentro de todas as novidades do blog
O primeiro e maior blog de engenharia do Brasil
Caderno de receitas, culinária prática e rápida
Homem também tem que ter estilo
Pausa para Nerdices - Sua dose diária de entreterimento
Tudo sobre seu carro
Fique por dentro de tudo que acontece no Manual do Homem Moderno.

Cadastre-se e receba semanalmente os principais destaques do Universo Masculino »