Tesouro Direto: o que é e como investir

Acredito que quase todo mundo em algum momento da vida já ouviu falar sobre Tesouro Direto ou títulos públicos, porem a maioria das pessoas ainda tem pouco conhecimento e muito medo desse investimento.

Meu objetivo aqui é explicar um pouco sobre eles e mostrar que é bem mais simples do que a maioria das pessoas imaginam.

O que é um título público?

Sabe quando alguém vai ao banco pedir um empréstimo e o banco empresta esse dinheiro porem no pagamento o banco recebe o dinheiro que emprestou mais juros?

O texto continua abaixo, clique no botão para continuar a leitura

Títulos são a mesma coisa só que ao invés de pedir dinheiro e pagar juros você está emprestando dinheiro e recebendo juros.

“Mas e se eu emprestar esse dinheiro e não receber no futuro? ”

Você está emprestando esse dinheiro para o Tesouro Nacional, ele não quebra simples assim, e se ele quebrasse algum dia isso significaria que antes dele todos os bancos já quebraram e o Brasil também quebrou, logo seu dinheiro não existiria independente da onde ele estivesse (Isso inclui a poupança).

Os tipos de Títulos Públicos

Tesouro Selic – é um título pós fixado, ou seja, ele é rentabilizado por um valor que vai mudando ao longo do tempo, nesse caso acompanha a taxa Selic.

Esse investimento é recomendado principalmente para reserva de emergência ou objetivos de curto prazo, pois rende mais que a poupança e tem liquidez diária.

Tesouro IPCA – Por não ter uma liquides diária é mais recomendado para objetivos de médio ou longo prazo e só é recomendado para quem pode deixar o dinheiro um pouco mais “engessado”.

Tesouro Pré-fixado – é um título onde na data da compra você já sabe quanto vai receber independente do que acontecer na economia.

Dentro destes três grupos de títulos existem variações que devem ser estudadas por quem está querendo começar a investir.

Quais Seus Objetivos e Necessidades?

Responda algumas perguntas para definir seus objetivos e necessidades, assim consequentemente consegue saber como e onde investir:

Você já tem uma reserva de emergência com pelo menos 6 meses os seus gastos mensais?

Não: Esse deve ser primeiro passo, calcular quanto precisa para viver seis meses e economizar esse valor o mais rápida possível, esse investimento pode ser feito através dos títulos SELIC pois tem liquides diária e pagam mais que a poupança.

DICA: Mesmo se você tiver 20 anos você não é feito de aço, então pare de achar que não vai ter problema na vida e comece a se preparar para as surpresas ruins que acontecem com todo mundo.

Sim: Se esse investimento for na poupança você pode transferir para a corretora e investir no Tesouro Selic para ter rendimentos maiores, caso sua reserva seja maior que 6 meses comece a procurar outros investimentos em renda fixa que irão de pagar juros maiores pois irão engessar seu dinheiro por um prazo maior, porem como você já tem uma reserva imediata isso não deve ser um problema.

Você tem um objetivo?

Não: Como falei acima, caso não tenha essa reserva de emergência esse deve ser seu primeiro objetivo, caso tenha a reserva porem não tenha outro objetivo é importante que ele seja criado, o ato de poupar é contra intuitivo então só temos disciplina para economizar quando a vontade de atingir esse objetivo é maior que a vontade de gastar no agora, sem objetivo dificilmente vamos conseguir atingir grandes conquistas financeiras.

Sim: Ótimo, pois assim consegue adequar seus investimentos ao prazo do seu objetivo e tem motivação para economizar e investir mensalmente.

Como começar a investir

É necessário abrir a conta em uma corretora, algumas delas oferecem o investimento em títulos públicos sem a cobrança de taxas e preste a atenção nisso.

Ao longo do tempo conforme o montante for aumentando você irá ter a possibilidade de investimentos melhores, porem neles existe a cobrança de taxas e você deve se atentar para que elas sejam as menores possíveis.

Usar uma corretora independente e não uma ligada a algum banco é importante para que a sua oferta de produtos seja maior e consequentemente sua oportunidade de rentabilidade seja mais atrativa.

O processo de abertura da sua conta em uma corretora é simples e pode ser feito rapidamente, o processo para enviar dinheiro para corretora também é simples, você irá fazer uma transferência da sua conta bancaria para sua conta na corretora (essa transferência é padrão assim como faria para qualquer outra pessoa) e após isso coloca o dinheiro nos investimentos que escolher.

É importante também prestar a atenção se o seu banco cobra pelas transferências, caso exista essa cobrança é interessante a migração para algum banco que não cobre.

Outro ponto importante é a disciplina de economizar e fazer aportes mensais, não basta buscar a melhor rentabilidade se não tem disciplina de aumentar seu montante, pois quanto maior o dinheiro que tem para investir melhores serão as oportunidades de investimento que sua corretora irá oferecer.

Fatores importantes na hora de escolher sua corretora

Taxas: Veja se ela não cobra para investimentos em títulos públicos e quais os valores que ela cobra para os outros investimentos, não se atentar a isso pode fazer com que ao longo do tempo milhares de reais sejam perdidos e consequentemente seus objetivos demorem mais para acontecer.

Registro: Verifique no site do Banco Central se esta corretora está devidamente registrada.

Comunicação: Como alguns problemas podem surgir ao longo do tempo é necessário prestar a atenção na qualidade do atendimento tanto de comunicação (Chat, E-Mail, Telefone) quanto das ferramentas (Plataformas e Aplicativos) que a corretora oferece para seus clientes.

Outro fator na hora da escolha deve ser quais as possibilidades de investimentos que ela oferece e quais as informações que você pode ter através dela (Relatórios Financeiros, Grupos, Cursos, Vantagens).

Isso é importante pois quanto melhor o atendimento maior será a possibilidade de você tomar suas decisões sozinho (Sem ser influenciado por interesses que não sejam os seus) e fazer tudo sem sair de casa ou até mesmo pelo celular.

Acompanhe seu investimento e faça aportes mensais

Após fazer o seu investimento inicial é necessário que isso se torne um hábito e que seu aporte mensal seja recorrente e cada vez maior, isso vai fazer com que seu montante cresça tanto pela rentabilidade quanto pelo seu habito de economizar.

Caso seu primeiro objetivo seja a reserva de emergência, após concluir essa meta você deve começar a procurar outros produtos com maior rentabilidade, porem como irão manter seu dinheiro “travado” por mais tempo, é importante chegar o mais rápido possível nesse primeiro objetivo, pois só após isso irá ter acesso a opções de investimento com maior lucratividade.

Esse é um caminho simples porem difícil que pode seguir para começar seus investimentos, devo sempre lembrar que o processo é longo, não é magico e a dedicação e disciplina devem ser constantes para que futuramente a independência financeira seja alcançada, boa sorte e bons investimentos.

Texto escrito por Wagner Bandeira é especialista em finanças e escritor amador. Aficionado por fazer as pessoas terem uma melhor relação com o dinheiro.

Os comentários são listados abaixo, clique no botão para comentar ou ler outros comentários
Importante - Os comentários realizados nesse artigo são de inteira responsabilidade do autor (você), antes de expressar sua opinião sobre temas sensíveis, leia nossos termos de uso

Canal do MHM

Recomendado para você

Populares

Parceiros

Estilo e Moda Masculina para o Homem Moderno
A gente também pode
Fique por dentro de todas as novidades do blog
O primeiro e maior blog de engenharia do Brasil
Caderno de receitas, culinária prática e rápida
Homem também tem que ter estilo
Pausa para Nerdices - Sua dose diária de entreterimento
Tudo sobre seu carro
Fique por dentro de tudo que acontece no Manual do Homem Moderno.

Cadastre-se e receba semanalmente os principais destaques do Universo Masculino »