Funk Ostentação ganha documentário

Diretor e produtor de clipes de funk faz documentário sobre o estilo

Pouco tempo atrás publicamos um texto do Leonardo Paladino entrevistando o Kondzilla,  o produtor e diretor de clipes de alguns dos nomes mais bombados do funk da baixada paulista. Para quem não sabe, o som dos caras enfatiza principalmente o luxo e ostentação, dando espaço em suas letras para marcas de ruas, bebidas jóias e artigos de luxo.

Pois bem, o Konrad resolveu deixar os clipes um pouco de lado e explicar o movimento em um documentário chamado Funk Ostentação – O filme. Com quase 40 minutos de duração, o vídeo fala sobre a carreira de alguns dos maiores nomes do movimento, como o Boy do Charmes, que canta “Megane” e a dupla Back Di & Bio G3, de “Bonde da Juju”.

O vídeo tem uma produção excelente, como todos os outros feitos pelo Kondzilla e serve como uma forma de manifesto para o estilo. Apesar de musicalmente pobre e com uma mensagem um pouco questionável, se juntar só os vídeos do cara, são mais de 50 milhões de pageviews. Vale a pena deixar um pouco o preconceito de lado e assistir o filme para entender um pouco do ritmo.

Muita gente torce o nariz para o funk, mas acho que ele retrata um momento muito claro da nossa sociedade. Com a ascensão da classe C o sonho de um cara pobre não é mais só a casa própria, e sim um Camaro Amarelo, tomar um uísque caro e ir usando um kit da hora para a balada. Sem contar que o som é muito bom para ouvir na balada e ver as “minazinha” dançando até o chão. E você, o que acha do Funk Ostentação?

Autor Edson Castro

Jornalista displicente e ilustrador sem talento. Coleciona livros, cicatrizes e histórias com mulheres malucas - no G+