Cervejas de destaques em 2012

cerveja do obama

O mercado de cervejas artesanais cresceu no mundo todo em 2012. Por aqui, o público brasileiro começou a intercalar com os rótulos convencionais outros de sabores mais marcantes, ingredientes inusitados ou maior teor alcoólico. Com isso, as micro cervejarias investiram forte na criatividade e nas receitas.

O resultado foram bandas de rock e até presidente produzindo o próprio rótulo, cervejas de desenho animado embarcando por aqui e até a cana-de-açúcar entrou nos ingredientes, somando sabor ao malte e lúpulo. Isso sem contar nas cervejas premiadas em diversos campeonatos mundiais.

Confira, na nossa opinião, as cervejas de destaques em 2012. Se você ainda não tomou, essa é a oportunidade!

Velhas Virgens Indie Rockin´Beer
Indie Rockin´Beer, cerveja da Velhas Virgens

Apesar de várias bandas de rock já terem emprestado seus nomes para colocar em rótulos de cerveja, o primeiro fermentado da Velhas Virgens difere das outras pois foi resultado da criação do próprio baixista Tuca Paiva. O rótulo identifica-se com o estilo  underground, que mistura rock’n’roll, bebedeira e putaria, resultando em uma India Pale Ale, de alta fermentação, com um sabor encorpado e amargor presente, além dos 6.5% de alcool, muito mais do que as cervejas comumente vendidas no mercado.

O texto continua abaixo, clique no botão para continuar a leitura

Segundo Paulão, vocalista da banda, a cerveja  Velhas Virgens Rockin’ Beer é tão boa que até pagodeiro vai querer tomar

Motörhead com Lager Bastards
Motörhead com Lager Bastards

Pois depois de lançar uma marca de vinho (Motörhead Shiraz), a banda Motörhead decidiu se aventurar na loira gelada e criou um rótulo intitulado Lager Bastards. A cerveja é uma Standard American Lager puro malte, vem em garrafas de 330ml e tem teor alcólico de 4,7%. Está sendo fabricado pela empresa sueca Krönleins e, por enquanto, só está disponível na loja da cervejaria, mas pode ser encomendada para qualquer lugar do planeta aqui.

Segundo o baterista Mikkey Dee,”Você nunca é velho demais para o rock’n’roll e para uma cerveja bem gelada. Isso tudo funciona muito bem em conjunto”. Inspirados na banda Motörhead, reunimos outras 10 cervejas inspirados em bandas de rock. Aumente o som e curta a breja ouvindo sua banda favorita!

Duff Beer
Cerveja Duff

A lendária cerveja do Homer Simpson e seus amigos no bar do Moe saiu dos desenhos e embarcou de vez em São Paulo. Apesar de seu lançamento ter ocorrido em novembro de 2011, em 8 bares paulistanos, foi em 2012 que ela ganhou a simpatia do público e as prateleiras dos bares. Agora, a Duff encontra-se em bares, lojas, mercados e até posto de gasolina de 13 capitais Brasileiras.

Quem produz o rótulo é a microcervejaria SaintBier – que também produz o rótulo da Coruja. Ela é uma american lager, cerveja puro malte, com sabor marcante, encorpada e com um amargor médio. Começou custando R$ 12,90, mas agora é possível encontrar à venda pela metade do preço.

As cervejas de Barack Obama

O presidente norte-americano faz questão de usar a cerveja em diversas ocasiões na sua carreira de estadista. Já a usou para fazer as pazes entre um professor negro e o policial branco que o prendera; tomou chope escuro na cidade de onde a família da mãe dele; e, em uma feira popular, a multidão em vez de desejar a ele mais quatro anos na presidência (four more years), cantou four more beers (mais quatro cervejas).

Mas o que a imprensa descobriu foi que o Barack Obama é tão fanático pelo fermentado de cevada e lúpulo que comprou, por conta própria, uma mini-cervejaria e a instalou na Casa Branca, para produção artesanal.

Feita a partir do mel das abelhas criadas nos jardins da residência presidencial, as cervejas ganharam o nome de White House Honey Ale e White House Honey Porter. Por pressão popular, a Casa Branca acabou revelando a receita das duas cervejas. O único problema é que as fermentadas são produzidas para consumo exclusivo de Obama e seus convidados.

URKontinent, a cerveja do Google
URKontinent, a cerveja do Google

O rótulo foi criado por funcionários do Google, que estavam cansados de beber cervejas de outras marcas. O estilo da cerveja é Belgian Dubbel, e a fabricação ocorre em parceria com a microcervejaria norte-americana Dogfish Head.

Para chegar a receita final, foi criado um fórum onde cada participante sugeriu um ingrediente. Entre eles está o mel extraído de uma colmeia do Googlepex. Além disso, a bebida conta com especiarias da América do Sul, África e Austrália, mostrando que o produto tem a cara da empresa global. A empresa já afirmou que o rótulo é uma edição limitada e não pretende entrar no mercado cervejeiro. Pelo visto, somente os funcionários do Google e outros poucos mortais poderão apreciar a cerveja globalizada.

Wäls Petroleum
Wäls Petroleum

A cervejaria Wäls foi a vencedora do South Beer Cup, um torneiro que pode ser considerado a Copa Libertadores das fermentadas, reunindo diversas cervejarias sul-americanas. De quebra, seu mais novo lançamento, a Wäls Petroleum, ganhou também o como destaque em 2012, pelo prêmio criado pelos Blogueiros Brasileiros de Cerveja (BBC), um grupo que reúne os principais blogs de cerveja do Brasil.

A cerveja do estilo Russian Imperial Stout, é produzida com diversos tipos de grãos escuros, corpo aveludado, licoroso e denso. Aromas de chocolate belga, café, toffee e caramelo. Amargor equilibrado. Maturada com cacau extra bruto/torrado Belga. Tem 12% de teor alcoólico.

Saison de Caipira, a primeira cerveja de Cana-de-açúcar
Saison de Caipira, a primeira cerveja de Cana-de-açúcar   

Apostando na nos prêmios conquistados, a cervejaria Wäls chamou o mestre cervejeiro da The Brooklyn Brewery, Garrett Oliver, para produzir a primeira cerveja do mundo feita de cana-de açúcar. Na receita, o caldo do ingrediente se juntará aos maltes especiais, lúpulo e levedura para criar uma bebida do estilo Saison (do interior da Bélgica).

Esse tipo possui aromas frutados, leve acidez, alta carbonatação e teor alcoólico de 6% a 8%. Não por acaso, o nome da novidade será Saison de Caipira. O produto já esta no mercado desde dezembro de 2012.

Bamberg Schwarzbier
bamberg

A Bamberg Schwarzbier merece destaque por ganhar dois prêmios no World Beer Awards 2012, o primeiro de a melhor Lager preta das Américas, que a credenciou ao título de melhor Lager preta do mundo. É uma cerveja preta, mas não tem o sabor tão pesado quanto uma Guinness e pode ser consumida a todo ano, em qualquer temperatura. Com 4,8% de teor alcoólico, tem aroma sabor de café e chocolate e uma discreta nota de lúpulos nobres do sul da Alemanhã.

A cervejaria Bamberg se destacou com premiação de outros rótulos ao longo do ano, como a Camila Camila e a Bamberg Munchen, além de ser eleita a Melhor Cervejaria das Américas na Copa Cervezas de América, no Chile.

Bierland Vienna
Bierland Viena

Duplamente premiada como a melhor Amber das Américas e do Mundo, no World Beer Awards 2012, a cerveja do estilo Vienna tem baixa fermentação. A Bierland Vienna possui três tipos de malte de cevada, que lhe conferem uma coloração avermelhada, o aroma remete a tons cítricos vindo dos três tipos de lúpulo utilizados, além de leves notas adocicadas sugerindo caramelo.

Seu sabor apresenta boa presença de malte no inicio, remetendo a leves notas adocicadas e que recebe em seguida generosa porção de lúpulo, trazendo agradável e persistente amargor. O teor alcoólico é de 5,4%.

Quilmes Cristal

Quilmes

A Argentina que levou medalha de ouro na categoria light tropical e latino-americana, na World Beer Cup, o evento considerado a Copa do Mundo da Cerveja. Apesar de ter apenas 4,9% de teor alcoólico, é uma pilsen bem encorpada e de boa qualidade, mais forte que as populares vendidas aqui no Brasil.

No país de origem é, de longe, a mais vendida. Ela foi batizada a partir do antigo nome indígena da localidade onde a fábrica foi instalada.

Paceña Pico de Oro
Paceña Pico de Oro

A boliviana ganhou ouro no estilo Internacional Lager, na World Beer Cup . A cerveja boliviana ganhou esse nome por causa da folha de alumínio que cobre a tampa. De coloração amarelo-palha e aroma levemente maltado, é a cerveja mais consumida na Bolívia.

A bebida tem um bom drinkability, é refrescante, e se assemelha aos rótulos pilsen consumidos aqui, porém com um gosto mais marcante. O fermentado ganhou fama por ser feito com água da Cordilheira dos Andes. Apesar de ser encontrada só por encomenda, já é uma boa desculpa para visitar o país vizinho.

Westmalle Trappist Tripel
Westmalle Trappist Tripel

Segundo a World Beer Cup , ela é número um na categoria Tripel, a cerveja que é considerada a mãe de todas do estilo. Foi produzida pela primeira vez no ano de 1934, em um monastério na Bélgica e mantem a receita desde 1956.

A cerveja trapista é dourada, tem um creme denso, consistente, com aroma de nozes, canela e frutas cristalizadas. Com 9,5% de álcool, oferece no final um amargor no fundo da língua.

Os comentários são listados abaixo, clique no botão para comentar ou ler outros comentários
Importante - Os comentários realizados nesse artigo são de inteira responsabilidade do autor (você), antes de expressar sua opinião sobre temas sensíveis, leia nossos termos de uso

Canal do MHM

Recomendado para você

Populares

Parceiros

Estilo e Moda Masculina para o Homem Moderno
A gente também pode
Fique por dentro de todas as novidades do blog
O primeiro e maior blog de engenharia do Brasil
Caderno de receitas, culinária prática e rápida
Homem também tem que ter estilo
Pausa para Nerdices - Sua dose diária de entreterimento
Tudo sobre seu carro
Fique por dentro de tudo que acontece no Manual do Homem Moderno.

Cadastre-se e receba semanalmente os principais destaques do Universo Masculino »