E se o próximo James Bond for negro?

idris-elba-car-ad-for-smartwater-caption-must-include-smartwater

Sou muito fã de James Bond. Daquele tipo que passou semanas acordado de madrugada assistindo as reprises dos filmes e que possui coleções de VHS e DVDs com todos os longas da série.

E, desde o lançamento de “007 contra Spectre” – provavelmente o último filme de Daniel Craig na franquia – começou a nova caçada pelo novo ator para fazer o papel. Essa passagem de manto – ou smoking – sempre foi uma das partes mais divertidas para mim.

Lembro de com 8 anos de idade meu pai me levar ao cinema para ver “GoldenEye” só para conhecer o novo 007. Entre “Um novo dia para morrer” e “Cassino Royale”, pude acompanhar na internet as especulações para quem assumiria o posto.

Novamente, voltamos a busca pelo novo agente secreto com a licença para matar, só que dessa vez, um questionamento tem tomado corpo: E se o próximo James Bond for negro?

O texto continua abaixo, clique no botão para continuar a leitura

O que faz de um James Bond um James Bond?

Chiwetel Ejiofor arrives at the 41st NAACP Image Awards on Friday, Feb. 26, 2010, in Los Angeles. (AP Photo/Matt Sayles)

Se você der uma olhada nos fãs da franquia, vai ver que muitos deles elogiam a passagem de Sean Connery na saga. O que é muito louco, já que Ian Flemming, escritor e criador do personagem, odiou o casting do ator. Mas, o que faz um James Bond ser um James Bond?

De cabeça: Um personagem sedutor, carismático e elegante, que sirva não só de sonho de consumo para as mulheres, como também de inspiração para os homens. E ele tem que ter sotaque britânico.

“Ah, mas as características físicas também importam para o papel.”

Nem tanto, meu amigo. O personagem sempre teve cabelos morenos em todos os livros e filmes, até que Daniel Craig, um loiro, assumiu o papel. Sem grades polêmicas.

Nas telas, ele sempre foi um personagem na faixa dos 30 a 35 anos, mas Roger Moore tinha 57 anos e Sean Connery 53 em seu últimos filmes como personagem.

michael-b-jordan

Além disso, o 007 sempre foi um cara mais esguio e que solucionava seus problemas com classe e não com força bruta. Tudo que o mais recente não faz em seus filmes.

Craig tem um porte mais parrudo, derruba paredes, mata inimigos na porrada e se joga de maneira suicida dentro de helicópteros. Inclusive, “Skyfall” é o filme do 007 com a maior arrecadação de bilheteria da história.

“Ah, mas nada a ver dar um personagem de uma cor para a outra.”

Ah, é? Bem, preciso te contar que isso acontece desde sempre no cinema. John Wayne fez Genghis Khan,  Mickey Rooney interpretou um japonês em “Bonequinha de Luxo”, Orson Welles, Laurence Olivier e Anthony Hopkins já pintaram o rosto de preto para fazerem o papel de “Otelo”, Jake Gyllenhall foi o “Príncipe da Persia” e o novo “Deuses do Egito” traz Gerard Butler e uma porrada de atores brancos interpretando egípcios.

John Boyega poses for a portrait at The Collective and Gibson Lounge Powered by CEG, during the Sundance Film Festival, on Monday, Jan. 20, 2014 in Park City, Utah. (Photo by Victoria Will/Invision/AP)

Trocar a cor ou nacionalidade de um personagem é o que Holywood sempre fez, mas parece que um negro no papel de branco ofende muito mais do que o contrário.

Afinal, será que um ator como Idris Elba ou  – os mais cotados até o momento – poderiam fazer um papel de um personagem mais classudo? Pela capacidade de atuação, tenho certeza que sim. E essa não é primeira polêmica do tipo na série.

Uma discussão parecida aconteceu na década de 70 quando o agente secreto teve sua primeira bond-girl negra em “Diamantes são eternos”. Os mais reacionários achavam um absurdo 0 007 se envolver um relacionamento interracial.

O que pensam os atores

thr_david-oyelowo_1

No meio da polêmica se James Bond poderia ser negro, alguns atores que já interpretaram o personagem se pronunciaram.

Daniel Craig, o mais recente, diz apenas que o “quem for escolhido deve apenas fazer seu trabalho e eu estou pouco me fudendo para a cor da pele dele”. Sério. Desse jeito mesmo. Já Pierce Brosnan, acredita que não exista motivos para um negro não poder interpretar o papel.

Já Roger Moore, disse em entrevista para a revista Paris Match, que acredita que o herói só poderia ser interpretado por alguém que fosse “Inglês-Inglês”, como se quase não houvesse população negra no país.

Quando morei na Inglaterra, morei com a família White, que curiosamente era negra, em um bairro chamado Blackheath, que possui uma grande comunidade de negros. Pelas ruas de Londres, pude ver não só brancos, como negros, asiáticos e indianos. Logo, não sei que é o “inglês-inglês” ao qual Moore se refere.

maxresdefault

O James Bond não era um personagem cômico até Roger Moore assumir o smoking. Também não era um assassino sangue frio até Timothy Dalton e também não era loiro até Daniel Craig. Então, sabe o que muda se o próximo James Bond for negro? Nada.

Mudar é a essência do James Bond. O 007 não é uma pessoa, ele é um conceito que se renova a cada geração. Ele continuaria sendo um agente secreto a serviço de sua Majestade empunhando sua Walther PPK  e dirigindo um Aston Martin.

Aliás, só teríamos a ganhar com um grande personagem do cinema sendo interpretado por um ator negro.

O personagem continuaria sendo um retrato de seu tempo e que se renova a cada ator que assume o papel. Agora, e se próximo James Bond for gay ou uma mulher? Bem…

Os comentários são listados abaixo, clique no botão para comentar ou ler outros comentários
Importante - Os comentários realizados nesse artigo são de inteira responsabilidade do autor (você), antes de expressar sua opinião sobre temas sensíveis, leia nossos termos de uso

Canal do MHM

Recomendado para você

Populares

Parceiros

Estilo e Moda Masculina para o Homem Moderno
A gente também pode
Fique por dentro de todas as novidades do blog
O primeiro e maior blog de engenharia do Brasil
Caderno de receitas, culinária prática e rápida
Homem também tem que ter estilo
Pausa para Nerdices - Sua dose diária de entreterimento
Tudo sobre seu carro
Fique por dentro de tudo que acontece no Manual do Homem Moderno.

Cadastre-se e receba semanalmente os principais destaques do Universo Masculino »