Álcool com energético tem o mesmo efeito que cocaína

Álcool com energético tem o mesmo efeito que cocaína

Há anos a mistura de vodka com energético se tornou popular nas baladas e festas em todo o mundo. Mas, segundo um estudo realizado pela Universidade Purdue, em Indiana, EUA, esse drink pode ser tão prejudicial para a saúde quanto cocaína. Principalmente se ele for tomado por jovens.

+ 15 coisas que aprendi ficando 30 dias sem beber álcool
+ Mitos sobre bebidas alcoólicas que você não deveria acreditar

Os pesquisadores fizeram testes com os cérebros de ratos adolescentes – já que não poderiam fazer o mesmo com humanos – e observaram mudanças químicas em suas massas encefálicas muito parecidas com os efeitos da droga. 

O alerta surge da quantidade da cafeína: uma lata de energético pode ter até 10 vezes mais cafeína do que um refrigerante comum. E, ultimamente, os jovens preferem beber energético na balada para espantar o cansaço a festa toda.

Aliás, outra pesquisa norte-americana publicada no Journal of Addiction Medicine constatou que jovens que consumem energético, mesmo sem misturá-lo com bebidas alcoólicas, têm mais chance de virarem consumidores de álcool na vida adulta.

O texto continua abaixo, clique no botão para continuar a leitura

Álcool com energético tem o mesmo efeito que cocaína

Porém, quando o energético é tomado com álcool ainda na adolescência, o centro de recompensas do cérebro é alterado, fazendo com que os jovens sintam mais dificuldade em lidar com substâncias prazerosas – esse efeito, aliás, pode durar até a vida adulta.

Segundo a pesquisa, ratos que tomaram álcool com energético se tornaram muito mais ativos (obviamente) e seus cérebros foram inundados pela proteína ΔFosB, extremamente presente em cérebros de quem abusa da cocaína ou da morfina.

Quando adultos, os mesmos ratos se tornaram muito mais resistentes à sensação de prazer da cocaína. Ou seja: se os ratos fossem humanos, eles provavelmente procurariam doses maiores da droga para suprir essas necessidades.

Um dos autores do estudo, Richard Van Rijn, afirmou: “tudo indica que as duas substâncias misturadas causam mudanças de comportamento e na neuroquímica do cérebro. Há claramente efeitos em tomar essa mistura que não existiriam quando se toma o álcool ou o energético separadamente”.

Então, enquanto novas pesquisas são realizadas, é melhor não beber essa mistura – ou, pelo menos, evitá-la.

Os comentários são listados abaixo, clique no botão para comentar ou ler outros comentários
Importante - Os comentários realizados nesse artigo são de inteira responsabilidade do autor (você), antes de expressar sua opinião sobre temas sensíveis, leia nossos termos de uso

Canal do MHM

Recomendado para você

Populares

Parceiros

Estilo e Moda Masculina para o Homem Moderno
A gente também pode
Fique por dentro de todas as novidades do blog
O primeiro e maior blog de engenharia do Brasil
Caderno de receitas, culinária prática e rápida
Homem também tem que ter estilo
Pausa para Nerdices - Sua dose diária de entreterimento
Tudo sobre seu carro
Fique por dentro de tudo que acontece no Manual do Homem Moderno.

Cadastre-se e receba semanalmente os principais destaques do Universo Masculino »